Como implementar e testar um Modelo de Negócios? | Blog da Dr. Performance
Sacha Matias (Criador Dr. Performance<br>e Método Dr Performance 15 Minutos)

Sacha Matias (Criador Dr. Performance
e Método Dr Performance 15 Minutos)

Professor, formador, adoro ajudar as pessoas a manterem-se saudáveis.
Entusiasta pela família, pessoas e desporto.

"Gostava de te ajudar a chegar a mais pessoas Sacha, como posso fazer?"
Obrigado por isso.
Podes Partilhar com mais Pessoas
(carrega num dos ícones)
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest

Como implementar e testar um Modelo de Negócios?

Sabes o que é um Modelo de Negócios?, por Sacha Matias e Dr. Performance, for Business
Consegues, de uma forma simples, mostrar e explicar o teu negócio?

Um modelo de negócios permite-te, de uma forma simples, olhar para a tua empresa e saberes exactamente como é que vais entregar valor ao mercado e gerar lucro.

O Modelo de Negócios, sabes o que é?

Não interessa que negócio tenhas, qual seja a tua actividade comercial, sem um modelo de negócios estás fadado a ter insucesso.

As pessoas passam a vida toda à procura da “next big thing” e a verdade é que isso não existe.

Não interessa o produto que tenhas, não interessa o serviço que tenhas, sem um modelo de negócios não vais muito longe.

No máximo acabaste de criar o emprego mais difícil do mundo.

Como eu costumo dizer (e digo isto muitas vezes):

“Está tudo inventado. Quem se destaca é quem inova. Depois é aplicar essa inovação num modelo de negócios.

E com este artigo vais descobrir se tens:

Um modelo de “sobrevivência” – o que acontece a mais de 90% dos negócios e empreendimentos a nível mundial – ou um modelo de negócios que é realizável.

O que vais receber neste artigo, perguntas tu?

(excelente pergunta).

Vou colocar por pontos a organização do artigo:

  • Vou-te falar o que é um modelo de negócios,
  • dos 9 passos da criação de um modelo de negócios (o objectivo é seres um “inútil” e o mesmo não precisar da tua competência técnica),
  • como se testa um modelo de negócios e
  • como se cria um plano de negócios (de um forma resumida o último – para escrever um artigo só sobre isto)

Ou seja, o objectivo é que consigas avaliar o que fazes actualmente e se consegues, de forma resumida, explicar o teu negócio e qual a tua proposta de valor única para o mercado que actuas.

Agora é o momento de te desligares das distracções e estares atento e focado no que vou passar.

PS1: Falo em “Deitar “fora” as distracções no artigo: “Como Aumentar a Produtividade?

PS2: Se estás sem tempo agora, recomendo que agendes um momento do teu dia para consumir e apreender este conteúdo. Garanto-te que está aqui um conhecimento poderoso.

O modelo de negócios

Provavelmente  o que vou falar neste capítulo não é novidade ou pelo menos já ouviste falar no modelo de negócios.

No entanto tenho que te dizer que sem isto podes ter criado apenas um modelo de “sobrevivência”.

Mas vamos a definição:

“O “modelo de negócio” de uma organização é a visão integrada do processo de identificação e utilização de recursos, competências e parcerias, para criar e entregar valor aos seus clientes e acionistas.”

in Guia Prático do Empreendedor, do IAPMEI

Ou seja,  em outras palavras,  o modelo de negócios diz-me exactamente o que é que o negócio vai entregar  e melhorar no mercado e como é que ele vai fazer dinheiro a curto, médio e longo prazo.

O que é  deve estar exposto no modelo?

  • A forma como a empresa vai fazer dinheiro ou seja as suas vendas,
  • a forma como vai comunicar,
  • com quem vai comunicar (Qual é o seu cliente ideal),
  • como é que vai entregar o seu produto ou serviço e
  • como é que a empresa vai crescer ao longo do tempo.

Parece confuso? Ou um exercício de “adivinhação”?

Nesta fase sim, e não te preocupes porque estas questões vão ser respondidas nos pontos seguintes.

De forma simples, e tudo o que falei até agora, um modelo de negócios é a descrição de como uma empresa funciona. Simples assim.

Um modelo simples, transparente e que me diz exactamente os pontos que falei anteriormente torna-se muito poderoso.

No ponto seguinte vou abordar os 9 passos para criar um modelo baseado no que é para mim a mais simples e poderosa ferramenta criada por Alexander Osterwalder:

Business Model Canvas.

E para concluir este ponto existem 4 perguntas que deves responder para incluir no teu negócio (e é aplicável na vida pessoal e saúde também):

  • O quê? 1. A Proposta de valor única
  • Para quem? 2. Segmento de clientes, 3. Canais de distribuição e 4. Relacionamento/comunicação com clientes
  • Como? 5. Actividades chave, 6. Recursos chave e 7. Parcerias
  • Quanto? 8. Estrutura de custos e 9. Fontes de receita

Respondendo a estas 4 perguntas, estás a criar as condições para trabalhar os 9 passos para construir o mesmo.

Os 9 passos da criação de um modelo de negócios

Tal como te falei no ponto anterior, vou-te falar de uma forma simples dos 9 passos para a criação de um modelo de negócios baseado no Business Model Canvas (dentro dos existentes é o meu preferido).

Já tinha abordado, de uma maneira ligeira, os modelos de negócios neste artigo: “Ter um Negócio? Porquê?” (onde falo da própria análise inicial de um negócio e como deves estar a monitorizar o mesmo).

E porque deves usar esta?

Na minha sincera opinião é muito visual e muito simples, sendo extremamente útil para estruturar ideias com potencial de se tornarem um negócio.

Em outras palavras, as grandes vantagens de se utilizar esta ferramenta são:

  • simplicidade de aplicação,
  • a possibilidade de utilizares post-its o que permite adicionar novas informações sempre que necessário e
  • ver o negócio de forma acessível num resumo visual do mesmo.
Base da construção do Business Model Canvas com os 9 passos.

Ou seja, o que vês neste infográfico são os 9 passos para a construção do modelo de negócio.

E é o que te vou falar de seguida em modo resumido.

Ou seja, chega de “encher chouriços”, é hora de preencheres o teu business model canvas!

Para começares: faz download do nosso modelo, imprime e preenche cada quadro seguindo o artigo – podes fazer com post-its, escrito à mão ou no computador.

O importante é que preenchas. Sempre que modificares, modificas a versão do documento.

PS3: É importante recordar-te que ele nunca vai estar concluído. O dia que achares isso, é o dia que o teu negócio vai entrar em declínio.

Agora vais preencher campo a campo. São os 9 passos.

Para este exercício eu aconselho que coloques as informações pensando no teu negócio no dia actual, não no futuro. Pensa no que consegues fazer já hoje e implementa amanhã se for necessário.

1. Segmento de clientes:

Este é o primeiro a preencher (depois da tua ideia consolidada).

PS4: Não digas por favor que é para todas as pessoas. Tens que escolher, é obrigatório.

Dou-te um exemplo, na Dr. Performance, for Business temos 3 segmentos de clientes:

  • Pré-empreendedores que querem iniciar um negócio mas não sabem o quê;
  • Empreendedores que têm já uma ideia definida mas não sabem evoluir e
  • Empresários que têm já uma empresa, com facturações na ordem dos 200.000€ a 1.200.000€ e que estão com problemas de crescimento.

No Segmento de clientes vais colocar as informações sobre os clientes que o teu negócio atende ou que quer atender.

É importante seres específico. Não sejas genérico na tua descrição. Caracteriza o máximo possível o teu público.

PS5: Na formação Marketing e Vendas 4.0, para empreendedores e pré-empreendedores ensinamos exactamente isto. No programa de consultoria premium, esta formação e outras estão incluídas para a organização que trabalha connosco.

Aqui vale a pena mencionar informações demográficas, sociais e psicográficas. Ou seja, problemas que o teu cliente enfrenta, o que ele gostaria de ter, qual seria a possível solução que iria melhorar a vida dele, etc.

Pode ser que até tenhas mais de um público alvo, não tem problema – e como viste, nós temos 3 principais.

E recomendo vivamente que não passes de, no máximo, três públicos distintos no início.

Lembra-te, estás a começar, não vais conseguir atender “todo o mundo” – este é um problema típico das empresas de construção civil, querem atender todos que depois não atendem ninguém e a consequência é atrasos superiores, em média, de mais de 3 meses do previsto (isto representa mais de 30% de perda de facturação e quebra de confiança com o cliente).

2. Proposta de valor:

A proposta de valor é o que tu estás a oferecer ao teu cliente ideal.

Por esta razão esse é o segundo passo do business model canvas. Agora já sabes quem é o teu cliente e quais são os problemas ou obstáculos que ele está a enfrentar no seu dia-a-dia.

Como é que a tua empresa vai resolver esses problemas?

Sê directo na definição da tua proposta de valor. Diz o que tu fazes e como fazes, sem rodeios.

Ex: A nossa proposta de valor única é ajudar os Empresários e Empreendedores a melhorarem os seus resultados actuais em, pelo menos, 20% sem que tenham que aumentar os custos ou dispensar pessoas essenciais.

E como fazemos? Após um diagnóstico gratuito, analisamos toda a estrutura de A a Z e propomos o melhor plano para resolver o problema que podem ser desde formação contínua à equipa até ao trabalho, lado a lado, com o Empresário. E o nosso propósito é de facto melhorar os resultados porque a consequência é que os nossos clientes serão futuramente os nossos melhores vendedores.

PS6: Vais perceber uma coisa de mim e da minha equipa, somos muito transparentes como a “água”, se um cliente não tem as devidas condições de trabalhar connosco, nós não trabalhamos. Não é nosso objectivo matar um negócio e sim fazê-lo crescer e prosperar.

Se tiveres mais do que um público alvo, deves criar uma proposta de valor pensando para cada um desses públicos ou uma proposta que possa atender de forma equilibrada todos eles.

3. Canais:

Como é que entregas o teu produto/serviço para os teus clientes?

No campo de canais deves mencionar como é que a entrega é feita.

Se pelo site, aplicativo, e-commerce, loja física, etc.

Nós, por exemplo, temos vários canais de entrega do nosso produto e serviço, depende sempre do serviço contratualizado.

Deves pensar também nos canais indirectos, aqueles que não estão sob o teu controle, mas que são primordiais para o negócio dar certo.

Um exemplo disso são os correios se, por ventura, o teu negócio é um E-commerce ou fornecedores de mateiriais se tens um negócio de construção civil. Estes são um bom exemplo de canais indirectos.

4. Relacionamento com os clientes:

Como é que te relacionas com os teus clientes? 

Aqui deves descrever as formas com que os clientes (que neste caso ainda são desconhecidos) sabem que o teu negócio existe.

Pode ser via redes sociais, o teu site, campanhas patrocinadas, referências, etc.

PS7: Não basta estar presente nestes locais. Há todo um trabalho a fazer e que cria confiança nas pessoas que queres como cliente. Eu falo disto neste artigo: “Marketing e Vendas: O Motor e o Combustível!“.

Outra informação importante para este campo é vais atender os clientes nestes locais.

Consegues receber dúvidas, queixas e feedbacks dos teus clientes por eles? Quem vai fazer este atendimento?

O lucro do negócio está na forma como responderes a estas duas perguntas.

5. Actividades chave:

É importante que eu desmistifique o que são atividades chave para evitar que enchas este campo de informações que não são realmente fundamentais para o teu negócio.

A pergunta que deves fazer:

Se eu deixar de fazer determinada actividade o meu negócio pára?

Se sim isso é uma atividade chave.

Escreve todas as actividades chave em verbos, como por exemplo:

  • vender, fazer campanhas de marketing, conseguir clientes, responder as questões colocadas, etc.

A minha recomendação é que não coloques mais do que cinco atividades chave neste momento.

PS8: Senão vais-te sentir sobrecarregado e falo disto mesmo neste artigo: “Como Aumentar a Produtividade?

É a isto que eu chamo a Formulação dos Indicadores Chave de Performance (KPI).

E como disse a um empresário, é o guião ou a Check-list que tu e a tua equipa usam para saber exactamente o que têm de fazer no dia.

6. Recursos chave:

Recursos chave são todas as coisas que, se não existirem, o seu negócio para de operar.

Por outras palavras, estes são os recursos que permitem a execução de KPI´s.

Neste campo deves colocar as “actividades” que o teu negócio precisa, então e recomendo que escrevas sempre com substantivos.

Ter um vendedor, um computador, uma loja, um alojamento para o teu site, etc. são exemplos de recursos chave. 

Aqui só colocas os recursos que realmente sejam necessários.

Seguindo a mesma recomendação anterior, lista no máximo 5 itens neste passo do business model canvas.

7. Parceiros:

Quem são os parceiros do teu negócio?

Quem são as pessoas que te ajudam com as suas metas de negócio.

PS9: Foca no que disse na última frase: “as pessoas”.

Não deverás colocar que uma determinada empresa é sua parceira. Pelo menos é a minha recomendação. No site sim deves colocar. No teu modelo não.

Tu tens sempre contacto com uma pessoa dentro das empresa, esta pessoa é o teu parceiro e ela deve ser citada nesse campo.

Uma coisa importante sobre os teus parceiros é a diferença entre eles e o teus clientes.

Se a pessoa é atendida pelo teu negócio ela não é o teu parceiro, é teu cliente!

Tem isto em consideração quando fores preencher este passo.

8. Estrutura de custos:

A estrutura de custos é tudo que precisas investir para que o teu negócio consiga operar todos os dias.

O que é essencial para que o seu negócio seja sustentável?

Procura sempre reduzir os custos fixos e é muito importante que quantifiques o teu investimento de tempo pessoal (daí fazer sempre o exercício com o empresário de quanto vale a hora e aí está o valor da empresa), e eu sei que pode parecer meio filosófico, mas é sem dúvida nenhuma, o teu recurso mais importante!

Atenção: a redução de custos deve sempre estar em conta com a qualidade máxima, se a qualidade baixar então deves subir ligeiramente os mesmos.

9. Fontes de receita:

Para terminar, no último passo do business model canvas deves começar por dizer:

O que vou ganhar com isto?

É verdade que já ouviste que dinheiro não é tudo, mas a tua empresa precisa ganhar algum para se manter funcional, é um dos princípios da gestão e administração:

  • Empresas são criadas para gerar lucro.

Este lucro precisa ser sempre financeiro?

Não claro que não!

As perguntas são:

Quais são os ativos que estás a gerar com o teu negócio?

Quais deles consegues converter em valor financeiro no futuro?

Quero-te dar exemplos de valor que conta como activo (e pode gerar lucro, mais cedo ou mais tarde):

  • Aprendizagem adquirida com o projecto,
  • Formação interna e externa,
  • Mentores e parceiros,
  • Contactos que geras todos os dias para o negócio,
  • Desenvolvimento de soluções, etc.

Pensa em todos os teus ganhos e lista aqui neste passo.

Eu costumo dizer aos nossos clientes que nos últimos dois anos adquiri mais de 10 anos de experiência, através:

  • Ter falido uma empresa e recuperado-a;
  • O MBA e Mestrado em Gestão e Negócios (o verdadeiro MBA foi o primeiro ponto);
  • Ajudar empreendedores e empresários a criarem sistemas válidos e altamente lucrativos;
  • Ter um Negócio que se encontra nos menos de 1% de escolhas do Maior concurso de Empreendedorismo de Portugal e o segundo maior do Mundo; etc.

Ah, ainda mais importante: o teu modelo de receita/facturação/lucro e fluxo de caixa. Descreve de maneira simples como vais ganhar dinheiro, de forma consistente, com o teu negócio.

Neste vídeo falo-te também destes 9 passos (é bom para quem gosta de ouvir a voz 🙂):

Atenção: este modelo não é estanque e está em constante mutação.

Com o conhecimento que adquires com o tempo vais modificar algumas coisas no mesmo.

E por essa razão é que este modelo deve estar “em teste constante”, daí a importância de te falar sobre testar o mesmo no próximo ponto.

Testar o modelo de negócios

Antes de te falar como se testa deixa-me dizer-te o porquê de, mais de 90% dos empresários e empreendedores, terem dificuldade em afinar o seu modelo de negócios.

Caem naquela que eu chamo a maior armadilha, que é “Está feito”.

E há dois pontos que deves-te focar desde o dia 0 do teu negócio/empresa:

1. Tudo o que pensas são hipóteses até testares e afinares ou seja, o teu business model vai e deve mudar muito até a versão final.

Por outras palavras, não te apegues muito às informações quando estiveres a preencher o teu canvas pela primeira vez.

Pára para pensar (o maior valor do negócio está aqui), tu estás a começar a estruturar o teu negócio, é natural que várias informações que estás a colocar no quadro sejam alteradas, apagadas e, com o tempo, novas sejam colocadas com o decorrer dos testes e validações.

Portanto sê breve ao preencher os campos, não sejas muito pormenorizado e não te apegues tanto a esse primeiro preenchimento – tenhas um negócio a começar agora, tenhas um com mais de 10 anos no mercado.

Deixo-te como exemplo o primeiro que eu fiz no meu primeiro negócio e que achava que estava o máximo (e estava bem longe disso):

2. Nunca venhas de mão vazias.

Preencher este business model não deve ser a primeira actividade que fazes num projecto, é uma enorme perda de tempo! E Tempo vale muito dinheiro.

Mais uma vez é importante reflectires, se ainda não sabes ao certo quem é o teu público, com toda certeza não saberás sobre receitas/lucro/fluxo de caixa, custos de operação/despesas, parcerias, etc. Tudo que irás preencher aqui será um “pontapé na atmosfera”.

Estas informações são etapas um pouco mais avançadas quando se pensa num negócio.

Portanto se estás a começar agora (mesmo que estejas no mercado há mais de 10 anos) eu aconselho-te a leres com atenção as 5 perguntas seguintes (e até te vão ajudar depois no ponto anterior dos 9 passos):

  1. O que queres fazer? Explica da maneira mais simples possível.
  2. Quem é o público? Descreve o público-alvo.
  3. Quais são as necessidades? Quais são problemas dessas pessoas que tu resolves?
  4. Qual é o teu produto/serviço? Ou seja, como é que vais resolver o problema?
  5. Como vais lucrar? Ou seja, como é que vais pretender facturar?

Depois sim podes começar a construir o mesmo.

E agora? Agora tens que testar.

O que quero dizer com isto? Tens que descobrir se há pessoas suficientes e disponíveis a pagar o que vais criar.

PS10: Quando acordares de manhã usa isto como um mantra/meditação, tatua na pele, escreva no tecto do quarto, faz como quiseres: Um negócio sem clientes recorrentes pagantes não é um negócio.

Independentemente se tens um negócio de início ou com mais de 15 anos, esta fase é de facto crítica, porque tudo o que tu fizeres sem testares e sem teres pessoas dispostas a pagar é apenas perca de tempo.

PS11: Ouve bem o que te vou dizer, vejo muitos empreendedores e empresários a quererem ter o logo perfeito, o site perfeito e/ou o produto/serviço perfeito sem terem devidamente testado e sim através de “achismos” (um problema de mais de 90% dos negócios a nível mundial).

E mais, vou-te também dizer isto e não leves a mal: Podes ser um excelente técnico e seres mesmo muito bom no que fazes, não é sinónimo de teres um negócio viável.

Agora voltando ao assunto testar. Respondeste às perguntas, executaste os 9 passos e agora vais testar com o público que definiste como alvo.

E como se testa, perguntas tu?

Através de inquéritos de empatia com o teu público alvo. Ou seja precisas conversar com eles.

Em outras palavras, vais validar com os “principais interessados” (os que tu achas que são) o problema deles (os que tu achas que eles têm e que tu podes resolver), através de 3 simples etapas:

1. Define a amostra a ser testada: 

Tu não podes entrevistar qualquer um.

Os entrevistados precisam ser potenciais clientes ou vais estar a perder o teu tempo. 

PS12: A tua mãe não é cliente, muito menos a tua mulher, marido, namorada(o), o melhor amigo…

Procura por potenciais compradores! Eu aconselho no mínimo 20 pessoas por público (caso tenhas mais do que um público alvo).

2. Conversa: 

Entrevista a pessoa como se fosses um médico.

Começa por perguntar sobre o dia a dia da pessoa e problemas que ela enfrenta relacionados com a tua solução.

Só então apresentas a tua ideia e finalmente colhe opiniões.

Se possível entrevista pessoalmente.

Dá mais trabalho, mas o resultado é muito superior.

Atenção, recorda-te que eu disse em cima que eram entrevistas de empatia e é desta forma que a crias.

3. Analisa:

O que é que as pessoas te disseram?

Atenção, não estou a falar para acreditares cegamente em tudo que ouviste, mas as respostas fazem sentido?

As pessoas que gostaram, não foi só para te agradar?

Nesta etapa precisas desenvolver as tuas habilidades de ler as pessoas.

Exemplo: eu neste momento vou fazer uma Masterclasse de uma semana, com mais de 10 horas de conteúdos, ao vivo e gratuito. E está limitado a apenas 100 lugares.

E antes de a fazer perguntei a uma lista de mais de 500 pessoas para responderem a um inquérito. Estas pessoas já trabalham comigo ou recebem conteúdos privados ou ainda subscreveram algo muito específico. Já criei uma relação com eles, não são desconhecidos. São o meus potenciais clientes ou clientes.

PS12: Podes responder ao inquérito aqui e participar na masterclasse: Inquérito para a Masterclasse.

E esta foi a introdução ao mesmo inquérito:

Na semana de 17 a 23 de agosto (altura antes de entrar o mês crítico do penúltimo trimestre do ano de 2020), iremos realizar 4 masterclasses de forma a ajudar o máximo de empresários e empreendedores que pudermos. Serão sessões de aproximadamente 2h cada, em modo intensivo. – Oferta aos empresários porque subscreveram algum produto nosso

Na Dr. Performance, for Business estamos preocupados com a crise económica que se avizinha (na realidade já está a acontecer). – Um dos problemas actuais

Por essa razão decidimos criar a semana do “Crescimento dos Negócios”, com 4 Masterclasses com o Objectivo de ajudar todos os empresários que pudermos. – A razão pela qual criamos esta semana gratuita

Serão gratuitas e prevêem-se entre 8 a 10h de conteúdo interactivo. – Informar o tempo de investimento pessoal

Antes de lhe dizer o programa definitivo, era importante que nos respondesse a este questionário (tempo de investimento, menos de 2 minutos) de forma a criarmos e entregarmos o melhor conteúdo e o mais adequado ao seu negócio. – Mostrar que estamos realmente interessados em entregar o melhor conteúdo de acordo com as necessidades

Vamos a isso? – Desafiar a fazer para ser ajudado

O que está a negrito é a explicação do texto escrito.

E porquê o Inquérito? Porque o objectivo é construir a mesma de acordo com a maior necessidades que os empresários e empreendedores que estão na lista têm. E assim crio algo que eles querem, sem inventar e permite-me criar produtos para a minha escada de valor da empresa de forma a os servir melhor.

Estes testes permitem também perceber se o teu produto ou serviço vai realmente servir as necessidades do teu público alvo ou se deve ser afinado.

E atenção, se o que estavas a criar ou o que tens actualmente não resolve o problema do teu público alvo, não há problema nenhum: começas de novo. Simples assim.

Só que com uma maior vantagem: agora tens um conhecimento mais profundo sobre o que as pessoas precisam.

Criar um plano de negócios

Depois de teres criado um modelo de negócios, validado a ideia com o teu público alvo e até teres feito umas vendas na mesma validação está na altura de criares um plano de negócios que se coadune com o modelo criado.

E que plano é este?

O plano que te vai permitir fazer vendas e tornar rentável o teu negócio.

No artigo “Objectivos ou Planeamento” falo dos três pontos principais de um plano:

  1. A estratégia (tudo o que é para mais de um ano);
  2. A táctica (idealmente de forma trimestral);
  3. E a técnica (o dia-a-dia que vai garantir que cumpres tudo).

E cada plano criado vai permitir que vás também afinando o modelo de negócios que criaste inicialmente.

O plano diz exactamente o quê?

Os objectivos que deves atingir e desmontar os mesmo de forma a saberes exactamente o que tens que fazer todos os dias de forma produtiva. Por outras palavras, quais são os objectivos e quais são os passos para alcançar os mesmos.

De uma forma resumida, aqui vão os pontos que deves delinear no plano:

  • Os objectivos para cada área fulcral do teu negócio (marketing, vendas, atendimento ao cliente, etc);
  • Que impacto cada objectivo vai gerar na organização;
  • O cronograma de execução de cada objectivo;
  • Como vais fazer, no dia-a-dia para atingir os objectivos (o truque é fazer um pouco todos os dias).

PS13: vou escrever um artigo só sobre os planos de negócios. E prometo ser longo como este. 🙂

E como vais acertar no plano e afinar o modelo? Fazendo. Simples assim.

Conclusão possível (nunca há uma verdadeira conclusão)

Um dos passos mais importantes para transformar uma ideia num negócio é criar uma empresa à volta da ideia.

Parte importante deste processo é definires o seu funcionamento interno e principalmente como vais ganhar dinheiro.

Pensando nisso, estudar o mercado, entender pontos fortes e pontos negativos é uma forma de começares a ter um negócio mais sólido.

E a forma mais importante é criares um modelo de negócio que será sustentado através de testes e com vendas reais.

Recorda-te, um Modelo de Negócios nunca está concluído, está em constante evolução.

Já consegues construir o teu modelo de negócios ou descrever o que tens actualmente?

Responde deixando o teu comentário neste artigo.

Tem um excelente dia,

Sacha Matias (Fundador e criador da marca Dr Performance™, for Business).

PS14: Gentilmente escrito entre a preparação final da presença na feira digital das finais da nossa marca na Acredita Portugalreuniões com empresários mostrando-lhes, através de um diagnóstico gratuito (podes aceder também a um aqui e garanto-te isto: descobres onde estás a perder dinheiro, porque não estás a fazer dinheiro e como resolver o problema – e depois ou resolves sozinho ou a trabalhar connosco), como podem recuperar a empresa e a nas minhas férias de verão. Que maravilha.

PS15: Se gostaste, se te trouxe algo de novo, se te ajudou de alguma forma, carrega nos ícones de redes sociais que se encontram ou no início ou aqui por baixo para partilhares nas mesmas. Também me vais ajudar a mim e a marca. 🙏🏼 🤗

3 thoughts on “Como implementar e testar um Modelo de Negócios?”

  1. Pingback: Proposta Única de Valor: Porquê e Como Fazer Eficazmente? | Dr. Performance™, for Business

  2. Pingback: Os 9 passos desde a Ideia até a venda | Dr. Performance™, for Business

  3. Pingback: Plano de negócios? Sabes montar um? | Dr. Performance™, for Business

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Todos os Artigos

Partilha nas Tuas Redes Sociais (Escolhe um botão)

Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

POWERED BY Sacha Matias 

Dr. Performance © Copyright 2019

Muito Obrigado pela tua Subscrição.

Irás receber E-mails com o remetente: email@drperformancebusiness.com

Se nas próximas 24h não receberes nenhum email, verifica a tua caixa de Spam, promoções e caixote do lixo no gmail (e Spam no hotmail ou live).

Irás receber como oferta no primeiro e-mail o e-book “Está na Altura de Ganhares Tempo”

Vamos-nos vendo por aqui, Sacha Matias

Powered By Sacha Matias