As Personalidades do Empreendedor |
Sacha Matias (Criador Dr. Performance<br>e Método Dr Performance 15 Minutos)

Sacha Matias (Criador Dr. Performance
e Método Dr Performance 15 Minutos)

Professor, formador, adoro ajudar as pessoas a manterem-se saudáveis.
Entusiasta pela família, pessoas e desporto.

"Gostava de te ajudar a chegar a mais pessoas Sacha, como posso fazer?"
Obrigado por isso.
Podes Partilhar com mais Pessoas
(carrega num dos ícones)
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest

As Personalidades do Empreendedor

Personalidades do Empreendedor, por Sacha Matias
O ser-humano é altamente complexo e varia entre múltiplas personalidades

As Múltiplas Personalidades do Empreendedor é uma Metáfora para o que acontece na Vida Pessoal e Profissional.

As Personalidades do Empreendedor podem ser comparadas com a personalidade pessoal. E posso afirmar com convicção, com mais de 18 anos no ramo da saúde e a tratar doenças, que isto é verdade. Se existem estudos sobre isto, é outra conversa.

Dos múltiplos estudos que existem em revistas científicas, estes foram dos melhores estudos que encontrei:

Traços de Personalidade
e Intenção Empreendedora
Personalidade empreendedora,
recursos pessoais, ambiente,
atividades organizacionais,
género e desempenho financeiro
de empreendedores informais

No entanto, na minha ótica, são insuficientes, porque um Empreendedor não é necessariamente alguém de negócios, mas sim alguém que resolve um problema de alguém.

Ou seja, tu que estás a ler, mesmo que não reconheças, em qualquer altura da tua vida foste Empreendedor.

Mas vou abordar este artigo na ótica dos negócios e empresas. E das relações criadas. Que, mais uma vez, pode ser reportado na vida pessoal.

Os meus filhos adoram os Teen Titans Go e, para além de engraçados, falam muitas vezes de temáticas atuais (são geniais o raio dos desenhos animados). Existe um episódio que me recordou este artigo que estou a escrever, cujo nome é “Some of Their Parts” (em português é “Algumas Partes Deles”).

Neste episódio em especial, o Robin usa um prisma especial que permite dividir as personalidades – mais especificamente em 5 – cada um dos elementos dos Teen Titans, com o objetivo de fazer a melhor equipa de combate do mundo (só não coloco aqui o episódio por questões de direito de autor).

Lições deste episódio:

  1. Nós todos temos um conjunto de características (o que são as tais 5 personalidades) que geram a personalidade em geral (a tua, a minha, a do teu chefe, a de um Gestor de Alto Desempenho, a de um Empreendedor, a de um Atleta, ou seja cada ser humano);
  2. É o conjunto dessas 5 personalidades que te fazem a ti, a mim e a qualquer pessoa única (o mesmo é dizer que cada um de nós é maior que a soma de cada uma das nossas partes). Portanto, Nunca duvides do que és capaz, duvida sim daquilo que achas que sabes muito.

No artigo: “Ter um Negócio? Porquê?” abordo no ponto 2, nos quadrantes dos negócios algumas personalidades do Empreendedor, mas agora para o completar vou aprofundar.

Este é um resultado do que estudei, da minha experiência de lidar com pessoas e de lidar com múltiplos “empreendedores”.

Agora vamos aprofundar? Boa. O artigo está organizado desta forma:

O técnico-especialista

O empreendedor-herói

O gestor

O investidor

É normal que reconheças partes destas personalidades com a tua própria personalidade. Até é um bom sinal, é um reconhecimento de um alto “Auto-Conhecimento” – ou Self-Awareness em inglês. E não há o mais certo, há evolução apenas (vê-as assim).

Atenção, antes de passares aos pontos seguintes quero-te alertar do seguinte: Isto é a reunião de uma experiência reunida de mais de 18 anos e generalista. Por essa razão se não tiveres de acordo com alguma, escreve nos comentários a tua opinião (vais-me dar a tua perspectiva e enriquecer o meu conhecimento, o que eu acho fantástico porque permite uma partilha conjunta).

Agora, que já foste alertado, podes continuar esta leitura.

O técnico-especialista

Personalidades do Empreendedor: Técnico-Especialista, por Sacha Matias
Um bom cirurgião é especialista na arte de operar… Não faz dele um ótimo líder ou gestor

O sonho de algumas pessoas é poder mandar nas suas decisões. E muitas vezes avança para a jornada de criar um negócio, começar a trabalhar por conta-própria ou abrir uma empresa. E será que isso é uma solução?

Em boa verdade é. Mas deixa-me enquadrar-te primeiro.

E eu sei que já ouviste a história que todos conseguem, que é uma questão de tempo, que se trabalhares muito e no duro e vais ter sucesso (seja lá o que isso quer dizer – e nem é o propósito deste artigo).

Mas falo sobre Sucesso
Neste artigo:
"Mas o que é isso
de Sucesso?"

No entanto, é verdade e mentira.

😕Confuso?😕

Então vou explicar, de forma resumida, para ligar ao título desta personalidade de empreendedor.

Por ano, em Portugal, abrem aproximadamente 35.000 empresas, sendo que em 2019 foi o ano recorde – 48.854 empresas abertas – e só estamos a falar das unipessoais. Nem está a ser considerado o número de empresários em nome individual (vulgo recibos verdes).

Mas nestes números, aproximadamente 30% fecham nos primeiros 2 anos (e mais uma vez não são contabilizados os empresários em nome individual).

Ou seja, não chegam as competências técnico-especialistas, não chega o trabalhar muito porque, em termos estatísticos, muitas destas empresas foram abertas – entre as múltiplas personalidades do Empreendedor – por este tipo de personalidade empreendedora e, pelos vistos, não chega (vou falar das competências de sobrevivência e crescimento na personalidade Gestor).

De forma nua e crua este é o verdadeiro operacional e especialista.

Então quem é o técnico-especialista? É alguém que domina a sua ciência como ninguém, tem competências específicas altamente treinadas – como cientistas, médicos, enfermeiros, engenheiros, entre outros licenciados deste mundo – e que lhes permitem praticar a sua ciência como ninguém.

E apesar de conhecimento altamente técnico e especializado, falta-lhes algo, entre várias, que é a estratégia (não te preocupes que irei falar disto mais à frente, no capítulo Gestor), por exemplo.

E criam uma confusão que é, por serem altamente técnico-especialistas, seriam altamente bem pagos e produtivos (e são, sem dúvida).

Mas a maioria dos técnicos-especialistas usam o seu tempo total para aumentar a sua facturação.

Usam o seu tempo pessoal todo para praticar a sua ciência e, até prova em contrário, um dia tem 24h. E isto não é estratégia mas sim táctica.

Em outras palavras, se não trabalharem não produzem – e não conseguem perceber isso.

Agora, imagina a situação que vivemos este ano de 2020: com a quarentena do COVID-19 muitas empresas (considerando desde uma pessoa a um conjunto de pessoas que têm estas personalidades do empreendedor) que têm este tipo de personalidade, infelizmente, vão fechar a sua actividade.

Os exemplos que irei dar a seguir, é de técnicos-especialistas que têm uma empresa ou são empresários em nome individual. Em outras palavras, serão exemplos generalistas, alguns que estão a ler vão-se identificar, outros não.

Vamos a alguns exemplos? Porreiro:

  • Médico-Cirurgião:
    • Depende da sua capacidade de fazer consultas diárias;
    • A cada 10 consultas gera 3 potenciais cirurgias;
    • Destas 3 potenciais cirurgias, 1 vai a avante;
    • Sendo que todo o rendimento é do seu esforço único, se não trabalhar, não fatura;
    • Com o COVID-19 deixa de haver consultas, e com isto acaba a sua capacidade de produção;
    • Possivelmente, ou aumenta o seu financiamento (capitais de terceiros) para aguentar ou vai fechar atividade.

Outro exemplo? Fixe:

  • Professor:
    • Depende da capacidade de dar aulas e de dar explicações (por exemplo);
    • Toda a sua facturação depende do número de aulas e explicações que dá;
    • Sempre que perde uma aula ou uma explicação a sua facturação cai;
    • Acredita que só pode fazer isto de forma presencial;
    • Com esta pandemia teve que se adaptar rápido a novas tecnologias de comunicação mas, não percebeu que pode criar tutoriais iterativos e dinâmicos sem a sua presença;
    • Continua a estar refém da sua própria produção (e desde a era industrial que não souberam inovar a sua produção apesar da evolução da tecnologia).

Só mais um:

  • Enfermeiro:
    • Aprende rapidamente que pode aumentar a sua facturação trabalhando em mais de um local;
    • Chegam a trabalhar mais de 90 horas por semana em trabalho efetivo mais as deslocações;
    • Têm o tempo sobre-preenchido;
    • Na sua maioria aumentam as competências científicas com especializações na área (que até à data, apenas 2 realmente lhes confere esta designação – as restantes é mais do mesmo);
    • Com a sobre-ocupação de tempo não têm nem tempo nem cabeça para aprender a chegar a sua ciência a mais locais sem necessariamente precisarem de si;
    • Com o COVID-19 começaram a ser proibidos de poderem trabalhar desta maneira, que em alguns casos, significa perda de mais de 50% da facturação mensal;
    • No entanto continuam com o tempo sobre-ocupado porque agora dedicam mais horas num único local sem incremento da sua facturação.

E esta personalidade é muito fechada a aprendizagem de outras formas de exporem a sua ciência. Formas que não dependam de forma exclusiva do seu tempo pessoal.

Estão constantemente a aumentar as suas competências na sua ciência e nem conseguem ver que há outros caminhos. Como diria um bom comediante, se calhar o Bruno Nogueira era o mais indicado para dizer isto, “Porra que são Teimosos!“.

O que, a médio prazo, lhes provoca um cansaço extremo (mais especificamente burnout) e, consequentemente, uma quebra na forma como exercem a sua ciência.

Ah, geralmente têm “medo” de partilhar o seu saber, porque têm medo de criar uma concorrência contra a sua “empresa”.

E, aqui, seria uma excelente oportunidade de evoluir a sua personalidade, mas como possuem uma “miopia cerebral” acreditam mais em si mesmos e nos seu esforço único que no esforço conjunto. Não gostam muito de trabalhar em equipa.

E têm uma crença gigante que, basta ter diplomas e serem altamente especializados (em termos académicos e científicos : os melhores fornecedores de serviços – e para esta personalidade muitas vezes o único – são as universidades), que é o suficiente para acharem que merecem ganhar muito .

Daí serem óptimos prestadores de serviços e altamente procurados por empresas que prestam o tipo de serviço que eles fazem.

De forma resumida, esta personalidade tem pontos fortes de excelência mas, também, tem os seu pontos fracos de excelência:

  • Pontos fortes:
    • Altamente especializados;
    • Dominam, como poucos, a sua ciência;
    • Altamente produtivos no número de horas que produzem;
    • Academicamente muito evoluídos;
    • Alta capacidade de produção pessoal;
  • Pontos Fracos:
    • Centrados no “Eu” produtor;
    • Reféns da sua própria produção;
    • Só conhecem a produção facturada à hora;
    • Dificuldade em aceitar formação especializada não certificada (não a vêm como tal);
    • Acreditam piamente que só podem facturar se estiverem presentes;
    • Tem dificuldade em aceitar Feedback (por vezes que os poderia fazer crescer);
    • Acreditam que, quanto mais competências académicas e técnicas têm, mais facturam;
    • Nunca se responsabilizam por não atingirem mais resultados, atribuem esta responsabilidade a outros (chefe, patrão, governos).

Se te identificas com esta personalidade, a minha recomendação, se estivesse no teu lugar (porque já estive) era permitires-te aprender com quem já deu o salto seguinte. O que costuma desprender-se desta personalidade (mantendo obviamente as qualidades associadas a esta) torna-se um “faturador coletivo” de excelência.

O empreendedor-herói

As personalidades do Empreendedor: Empreendedor-herói, por Sacha Matias
O Empreendedor-herói é o verdadeiro multi-tarefa (será que se aguenta muito tempo esta fase?)

O verdadeiro faz-tudo, o Multitasking.

Conheces alguém assim?

Será que tu também és assim?

Esta personalidade aprende muito rapidamente vários ofícios (desde contabilidade, finanças, gestão pessoal, organização pessoal…), ou seja, tem as competências ou adquire as competências necessárias para evoluir o seu saber.

Tem uma mente mais aberta à aprendizagem, ao contrário da personalidade anterior, é altamente produtivo, no entanto, tal como a anterior, a maioria da sua facturação advém da sua produção pessoal.

Está sempre à procura de respostas, está sempre a formar-se (principalmente em formações dadas por alguém que atingiu o que ele quer), mas tem uma dificuldade de perceber que a alavancagem do seu negócio passa pela desmultiplicação do seu esforço.

Ao contrário das outras personalidades do empreendedor, o empreendedor-herói é múltiplas pessoas. É o produtor e fornecedor de produtos e serviços, é o departamento de Marketing e Vendas, é o Criador de Conteúdos, é o Serviço de Apoio ao Cliente, é “a senhora da limpeza”, entre outros.

Tal como a personalidade anterior, é um técnico-especialista na sua arte e, por sua vez, não tem dificuldade em ensinar outros.

E dá esse conhecimento sem exigir nada em troca.

A sua maior dificuldade, por vezes, é monetizar esse mesmo saber ou responsabilizar quem colabora com ele.

E essa, por vezes, é a sua fraqueza. É uma pessoa afável, motivadora, tem uma autoconfiança gigante, uma capacidade de networking ímpar, entre outras, mas tem dificuldade em lidar com o dinheiro (pagamentos) e em responsabilizar quem trabalha com ele. Chegas-te a ler o artigo: Qual é o Teu Tipo de Líder?.

Nesse artigo, no ponto 2: “Eu Sei que Eles Sabem o que Têm que Fazer” falei em características que esta personalidade tem em termos de liderança.

Eu sei do que falo, foi assim que eu mandei a minha empresa à falência.

E existe algum problema com isto? Claro que não, no entanto, se te revês neste tipo de personalidade deixa-me já alertar-te que vais ter que trabalhar muito o teu mindset de forma a não fazeres o que eu fiz.

Recomendo a leitura
deste livro para
compreenderes este
conceito: "Mindset
A Atitude Mental
para o Sucesso"

É nesta fase que é importante encontrar mentores de forma a não cometer erros que eu cometi – falo disto em maior profundidade no livro que estou a escrever, mais precisamente no capítulo 9: “Mesmo Com os Melhores, é da Nossa Natureza Errar”.

E tudo o que escrevo no blog é para partilhar conhecimento, experiências e educação (não fosse eu professor 😉 😊).

De uma forma resumida e organizada vou falar dos pontos fortes e fracos desta personalidade:

  • Pontos fortes:
    • Todas as especificadas no técnico-especialista;
    • Capacidade de desmultiplicação em múltiplas personagens de uma organização;
    • Uma capacidade de Networking ímpar;
    • Tem a capacidade de aprendizagem elevada e rápida;
    • Motivação elevada (é difícil mandar abaixo o herói, comparativamente a todas as personalidades do empreendedor);
  • Pontos Fracos:
    • Incapacidade de liderar uma equipa com sentido de responsabilidade;
    • Incapacidade de criação de cultura (assume que todas as pessoas que entram na organização sabem o que fazer);
    • Em alguns momentos começam-se a desorganizar com o aumento do trabalho;
    • Demora algum tempo a perceber que precisa de apoio ou investir em apoio especializado.

Nas personalidades do empreendedor, esta é uma que atrai muitas pessoas, no entanto tem a dificuldade de perceber o real valor que tem. E isso pode aniquilar qualquer ideia que tenha.

E, sempre que ensinas alguém ou lhe entregas um produto ou serviço não há mal nenhum em cobrar (nos vários sentidos da palavra). Tudo são trocas comerciais na verdade. Aprendi da pior forma. E muitas vezes tem a haver com uma pena ou medo do julgamento por cobrar.

Por isso é que termino este capítulo desta forma:

“Em vez de se preocupar com o que as pessoas dizem sobre você, por que não investir tempo tentando fazer algo que elas admirem?”

Dale Carnegie

O gestor

Gestor, por Sacha Matias
O Gestor na sua Essência cria Ciência com factos e não com “achismos”

Já ouviste alguém dizer:

“Eu acho que todo o Mundo faz assim!”

Isto é um generalismo, mais especificamente, um “achismo”.

Os “achismos” não criam ciência, que servem para criar factos concretos de forma a gerar decisões concretas.

Dentro das personalidades do Empreendedor, o Gestor é aquele que funciona com factos e não com “achismos”.

E, existem muitos gestores, que passaram para este cargo mas a sua personalidade não evoluiu para este ponto. Continuaram a ser “técnico-especialistas” com um cargo diferente. E aqui falamos de personalidade e não cargo.

Conheci muitas pessoas com este tipo de personalidade mas, por uma razão ou outra, não possuíam um cargo correspondente à sua personalidade (e, em boa verdade, se calhar nunca vão ter).

São altamente organizados, focados para o resultado, criadores de uma organização com regras e valores (pontos de cultura), e fazem-no com aprendizagens adquiridas.

Não é tão afável, aparentemente, como o empreendedor-herói, mas consegue ser altamente admirado por quem o segue.

Enquanto o empreendedor-herói é semelhante a um atleta que treina muitas horas, mas na hora da verdade – competições – parece que falha, o gestor é comparado com atletas de alta performance vencedores.

Tem uma capacidade ímpar de compreender a alavancagem. E sabe que esta está assente em três princípios:

  • Alavancagem/Controlo de Processos (Aplica a lei 80/20 de uma forma eficaz);
  • Pontos de Cultura;
  • Organograma.

Não vou aprofundar estes 3 princípios neste artigo – nem é esse o objetivo – mas vou falar deles para poderes fazer a associação a esta personalidade e perceber as diferenças com as outras personalidades do empreendedor.

Alavancagem/Controlo de Processos

Cria uma estrutura que permite crescimento – não depende exclusivamente dele a parte operacional (ao contrário das duas outras personalidades do empreendedor, o gestor compreende que muitos são mais que um apenas…

Neste ponto, o gestor aproveita o conhecimento adquirido – o que lhe permite tomar decisões estratégicas e técnicas; E criar assim a alavancagem operacional – utilização do tempo, esforço, competências e conhecimentos de outras pessoas, liderando-as…

Podes compreender mais
sobre liderança
neste artigo:
"Qual é o Teu
Tipo de Líder?"

Ou seja, compreende que uma organização só cresce com uma máquina montada, por outras palavras, processos sistematizados o que permite desta forma permitir que cada elemento saiba exactamente o seu papel.

Ele apenas preocupa-se em Liderar (Criando liderança em profundidade – a liderança intermédia) e em compreender os números frequentemente para tomar decisões. Não há decisões em “rama verde” (ou se há aprende rapidamente).

E isto ele sabe muito bem, que é compreender a lei de Pareto na sua essência: 80% dos resultados advém de 20% dos esforços pessoais.

Criação de Cultura

O verdadeiro ADN da Empresa.

Há quem pense que são os valores, missão e visão (isto não é cultura, são ideais)… A cultura são comportamentos sociais e o Gestor é muito bom a criá-los.

E a Visão, Missão e Valores devem ser construídos em torno de uma Cultura e não feitos por um consultor de ISO 9001 (que é o que a maioria das empresas tem): recomendo um exercício, vai a 10 sites diferentes (de saúde, tecnologia e afins) e vê lá se não parecem cópias uns dos outros… E se tiverem um certificado ISO 9001 então…

Tudo depende do que o líder (neste caso esta personalidade) implementou e o alinhamento comportamental diferente.

Apesar de estar sempre a falar que nós somos a mesma pessoa pessoal e profissional, podemos adaptar o comportamento (sem deixarmos a nossa autenticidade, genuinidade, o que nos faz únicos).

Por exemplo, em casa com os teus filhos comportaste de uma forma, com os teus amigos de outra, empresa outra… Não deixas de ser tu mesmo, apenas adoptas rituais e forma de comunicação diferentes… E dentro das personalidades do empreendedor, o Gestor sabe muito bem a importância da comunicação e rituais diferentes em locais diferentes.

Sobre Comunicação
Podes ver este
Artigo: "Porquê
é que é Importante
Comunicar?"

A questão de Cultura não é algo que se faz uma vez, nunca está acabada…Está sempre em evolução.

É o aspecto mais decisivo da organização.

E o gestor tem essa responsabilidade de implementar esta cultura desde o dia 1 (e vai-se modificar ao longo do tempo, com conhecimento e maturidade). A cultura ensina pessoas a serem medíocres ou extraordinários.

Organograma

O Gestor tem uma capacidade ímpar, também pela sua experiência, em escolher pessoas excepcionais.

Acerta sempre? É óbvio que não. Mas tem uma sensibilidade em reconhecer pessoas para cargos de alavancagem.

Se a Cultura é o ADN da organização, o Organograma é a representação física, gráfica, de decisões e garantia de implementação de processos. Por outras palavras, é o motor, a força motriz. E o Gestor sabe que tem que dividir a sua liderança por outras pessoas excepcionais.

Os objectivos da organização são do Gestor, ele sabe isso. Os planos são da equipa de liderança criada por ele.

Sobre objectivos
e planos podes
consultar este artigo:
"Porque é Difícil
Atingir Objetivos?"

Dentro das personalidades do Empreendedor, esta tem uma particularidade, a Responsabilidade. E a responsabilidade não é só responsabilizar os outros, é exigir a responsabilidade a si mesmo. Normalmente coloca a equipa que se encontra com ele a fazer o mesmo nível de exigência. E é difícil.

Em suma:

  • Pontos fortes:
    • Todas as especificadas no Empreendedor-Herói;
    • Compreende que pode abdicar da parte operacional, tornar-se um generalista e encontrar técnico-especialistas para fazerem parte da sua equipa;
    • Não há “achismos” nas suas decisões, tudo é baseado em ciência criada após avaliações constantes;
    • Aplicação da Alavancagem;
    • Criação de Cultura;
    • Construção de um Organograma através das pessoas que fazem parte do seu circulo forte.
  • Pontos Fracos:
    • Pode cometer o erro de Sistematizar em demasiado os processos existentes à sua volta, podendo quebrar, a longo prazo, a criatividade das pessoas à sua volta.

Eu vejo esta personalidade com uma frase mítica de Peter Drucker (entre muitas dele):

“O que pode ser medido, pode ser melhorado”

Peter Drucker

O Investidor

O investidor, por Sacha Matias
Uma analise cuidada e “obsessiva” gera resultados incríveis

Se houvesse uma personalidade entre as personalidades do empreendedor que engloba todas é o Investidor.

E não é pelo conhecimento técnico-especializado, não é pela sua capacidade de se multiplicar em múltiplas fases ou mesmo liderar equipas. Nada disso. Ele evoluiu para uma nova personagem.

Tem um conhecimento profundo de si mesmo (como se diria na gíria do desenvolvimento pessoal).

Se eu pudesse definir em apenas uma frase era esta: “Tem uma paciência de ferro.”

Em outras palavras, ele já passou por todas as etapas de crescimento da personalidade, tem uma visão de longo alcance e consegue compreender de uma forma rápida e perspicaz o que se passa no ambiente que o envolve (económico, social, político…).

Daí dizer-te que ele não é mais que a soma das 3 personalidades anteriores somada ao conhecimento de anos.

E obviamente tem pontos fortes e fracos. Os seus pontos fortes? A sua “obsessão” por analisar números – uma parte do seu dia é toda a analisar números.

Se eu tivesse que comparar esta personalidade com uma personagem, a melhor comparação seria a personagem de Russell Crowe em “Uma Mente Brilhante”.

É esta obsessão que lhe permite antecipar longos Outonos ou os Duros Invernos (expressões económicas de investimento). Inclusive, se conheces alguém com este tipo de personalidade pergunta-lhe o que vai acontecer no pós-COVID-19. Vais ver que a resposta será, muito provavelmente, um Duro Inverno (algo que já se está a preparar).

E pontos fracos? Claro que tem. Esta mesma “obsessão” pelos números leva-o a um isolamento social, aparecendo cada vez menos em propriedades/empreendimentos que detém.

No entanto, não deixa de ser uma personalidade rara no mundo – estatisticamente corresponde a apenas 10% da população mundial.

Como resultado de tudo isto é considerado um vencedor em qualquer área em que invista.

Se eu tivesse que resumir o artigo todo das personalidades do empreendedor numa associação com o ciclo de vida humana:

  • Bebe/criança é o técnico-especialista: adquire o seu conhecimento ao longo de anos e não consegue ver muito mais que o que sabe;
  • Adolescência é o Empreendedor-herói: altamente energético, teimoso, pouco claro em directrizes, distrai-se facilmente e tem dificuldade em pedir ajuda;
  • Fase Adulta Precoce é o Gestor: começa a compreender as regras do Mundo e por onde se pode deslocar, erra (e por vezes bastante) mas sabe rodear-se, com tempo, de pessoas excepcionais;
  • Maturidade da fase adulta é o Investidor: adquire uma paciência atroz para compreender os fenómenos do Mundo como resultado da experiência adquirida, da muita aprendizagem e, mais importante, dos muitos erros.

Em conclusão, e numa única frase:

“Tudo é sobre as Pessoas!”

Identificas-te com alguma ou em partes de cada uma?

Deixa o teu comentário no final deste artigo.

Tem uma excelente semana,

Sacha Matias (criador Dr.Performance, for Business).

2 thoughts on “As Personalidades do Empreendedor”

  1. Pingback: Recrutamento Eficaz? Os 5 Passos Incríveis | Dr. Performance™, for Business

  2. Pingback: Indicadores Operacionais. O que é isso? - Dr. Performance™, for Business

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Todos os Artigos

Partilha nas Tuas Redes Sociais (Escolhe um botão)

Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

POWERED BY Sacha Matias 

Dr. Performance © Copyright 2019

Muito Obrigado pela tua Subscrição.

Irás receber E-mails com o remetente: email@drperformancebusiness.com

Se nas próximas 24h não receberes nenhum email, verifica a tua caixa de Spam, promoções e caixote do lixo no gmail (e Spam no hotmail ou live).

Irás receber como oferta no primeiro e-mail o e-book “Está na Altura de Ganhares Tempo”

Vamos-nos vendo por aqui, Sacha Matias

Powered By Sacha Matias